Ampulheta no Céu

Primeira sessão

Antigos amigos e companheiros de batalha, o mago Brian, o cavaleiro de Solamnia Archibald e o minotauro Ardnor se reúnem em Palanthas para o funeral de seu amigo Augustus, clérigo de Paladine.

Na sepultamento, as catacumbas do templo são invadidas por um grupo de mercenários, que exigiam que um livro fosse entregue.

Sem saber do que se tratava, os três derrotaram os mercenários, mas enquanto combatiam, um sacerdote do templo correu até as catacumbas gritando que a cidade estava sendo invadida pela Dama Azul. Logo em seguida, escombros bloquearam a entrada. Tudo o que podiam ver do lado de fora era uma forte chuva e a morte que assolava Palanthas.

Com os músculos do minotauro, os três conseguiram abrir caminho, mas do lado de fora os únicos vestígios da invasão eram os corpos na rua, o que não seria estranho se não fosse o fato que não havia uma única alma viva na cidade. Nem mesmo os invasores.

No quarto de seu falecido amigo, o grupo encontrou um livro estranho, escrito no idioma dos irdas. Um dos clérigos do templo disse que em seus últimos dias, tudo o que Augustus fazia era estudar o livro.

Brian sugeriu que procurassem informações na Grande Biblioteca de Palanthas. Depois de muito insistir, foram atendidos pelos Estéticos que, escondidos, sobreviveram à invasão e à tempestade. Infelizmente, o estético que os atendeu não tinha informações que pudessem ajudá-los, sugerindo ao mago que pedisse ajuda às Ordens da Magia.

Aceitando a sugestão, o grupo rumou para o porto, onde encontrou alguns sobreviventes: draconianos, que tentavam invadir o navio de um capitão que sobreviveu ao se esconder no convés de sua embarcação. Após ajudar o jovem capitão, ele aceitou transportá-los até a Abanasinia.

View

I'm sorry, but we no longer support this web browser. Please upgrade your browser or install Chrome or Firefox to enjoy the full functionality of this site.